Contador de visitas

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Flamengo perde chances contra Santa Fe e volta a empatar na Libertadores

ESTADÃO CONTEÚDO

O duelo desta quarta foi o segundo e último jogo do Flamengo sem a presença da torcida nesta Libertadores



RIO DE JANEIRO - Mais um jogo sem torcida, mais um empate para o Flamengo. Este foi o saldo do time carioca nestas primeiras rodadas do Grupo D da Copa Libertadores. Na noite desta quarta-feira, num Maracanã vazio e silencioso, o Flamengo até saiu na frente do Independiente Santa Fe, mas cedeu o empate por 1 a 1. Henrique Dourado marcou o gol do time brasileiro. 

Foi o típico empate com gosto de derrota porque a equipe carioca esteve melhor ao longo de toda a partida e desperdiçou uma série de chances no segundo tempo. A pressão foi intensa nos dois extremos do jogo, nos primeiros minutos e nos instantes finais do duelo, mas o adversário colombiano se defendeu bem nos momentos mais decisivos. 

No começo, Henrique Dourado soube aproveitar vacilo do goleiro para abrir o placar. Mas o empate, com Morelo, veio ainda na etapa inicial. No segundo tempo, o Independiente Santa Fe pouco jogou no ataque e, à espera do time brasileiro, contou com a eficiência da zaga e de Zapata no gol. 

Com o segundo tropeço nesta Libertadores, o Flamengo chegou aos cinco pontos. Segue na primeira posição do Grupo D, mas agora já está sob a ameaça do River Plate e do próprio Santa Fe, que tem agora três. O time argentino vai enfrentar o Emelec, nesta quinta, fora de casa. 

O duelo desta quarta foi o segundo e último jogo do Flamengo sem a presença da torcida nesta Libertadores. O time brasileiro cumpriu suspensão por conta da confusão causada por seus torcedores na final da Copa Sul-Americana, no Maracanã, em dezembro do ano passado. O primeiro jogo da equipe com torcida na competição será contra o Emelec, no dia 16 de maio.

O JOGO - Mesmo sem o empurrão da torcida, o Flamengo foi para cima no começo do jogo e não tomou conhecimento do adversário colombiano. Logo aos 3 minutos, Paquetá tabelou com Diego, que quase abriu o placar. Na sequência, aos 7, o time carioca não desperdiçou. Após cobrança de escanteio na área, Henrique Dourado aproveitou vacilo do goleiro Zapata e se antecipou para escorar de cabeça para as redes. 

Com amplo domínio, o Flamengo poderia deixar o gramado no intervalo com vantagem maior no marcador. Mas uma falha na defesa, algo recorrente nos últimos jogos, custou o empate. Foi aos 30 minutos, quando Plata disparou por entre os marcadores com facilidade e cruzou da direita. Morelo, sem marcação na pequena área, completou para as redes. 

De volta para o segundo tempo, o Flamengo não conseguia imprimir o mesmo ritmo forte do início da partida. O técnico Maurício Barbieri, então, promoveu duas mudanças de uma só vez. Sacou Henrique Dourado e Éverton Ribeiro para as entradas de Lincoln e Willian Arão, respectivamente. 

O objetivo do interino era dar novamente velocidade ao meio-campo rubro-negro. De quebra, tirou da partida dois dos jogadores menos produtivos da equipe na etapa. As mudanças deram certo e o Flamengo ganhou em agilidade no setor ofensivo. Não por acaso a bola começou a alcançar Vinicius Junior. Ele teve chance de anotar o segundo dos anfitriões, aos 12, aos 14 e aos 20.

E, quando a principal esperança de gols do time começava a levar perigo ao gol colombiano, Maurício Barbieri resolveu fazer outra alteração na equipe. Sacou o próprio Vinicius Junior e colocou Geuvânio na partida. 

Sem Vinicius, o Flamengo seguiu levando perigo à defesa colombiana. Foram quatro grandes chances de gol em apenas um minuto. Aos 35, Réver e Lincoln desperdiçaram grande oportunidade na área, após falha do goleiro. Na sequência, em levantamento na área, Soto precisou salvar duas vezes em cima da linha para evitar o gol brasileiro.

A série de chances perdidas culminou em finalização perigosa de Diego, aos 42. O meia caprichou no chute pela esquerda, dentro da área, mas parou no goleiro Zapata. 

O Flamengo volta a campo pela Libertadores já na próxima quarta-feira para enfrentar novamente o Independiente Santa Fe. Desta vez, o duelo será disputado em Bogotá.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 1 x 1 INDEPENDIENTE SANTA FE

FLAMENGO - Diego Alves; Rodinei, Réver, Juan e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá, Éverton Ribeiro (Willian Arão), Diego e Vinicius Junior (Geuvânio); Henrique Dourado (Lincoln). Técnico Maurício Barbieri (interino).

INDEPENDIENTE SANTA FE - Róbinson Zapata; Carlos Arboleda (Giraldo), Javier López, William Tesillo e Gil Uribe; Yeison Gordillo, Baldomero Perlaza, Armando Vargas (Soto); Anderson Plata (Henao), Wilson Morelo e John Pajoy. Técnico: Agustín Julio (interino).

GOLS - Henrique Dourado, aos 7, e Morelo, aos 30 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Javier López, Cuéllar, Soto. 

ÁRBITRO - Andrés Cunha (Fifa/Uruguai).

RENDA E PÚBLICO - Jogo com os portões fechados.

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

Governo do Brasil pede explicação ao Facebook sobre vazamento de dados

Neste mês, o Facebook revelou que o vazamento teria atingido 87 milhões de pessoas, indo além dos Estados Unidos.

JONAS VALENTE/AGÊNCIA BRASIL

BRASIL - O governo federal notificou o Facebook para explicar o suposto vazamento de dados para a empresa britânica de marketing digital Cambridge Analytica. A informação foi divulgada hoje (18) pelo Ministério da Justiça. Em março deste ano, veículos de mídia dos Estados Unidos e do Reino Unido revelaram que um desenvolvedor, Aleksandr Kogan, coletou informações de milhões de pessoas usando um aplicativo e repassou à empresa de análise, que utilizou os registros para influenciar eleições, como a disputa dos Estados Unidos de 2016.
Neste mês, o Facebook revelou que o vazamento teria atingido 87 milhões de pessoas, indo além dos Estados Unidos. Esse total incluiu 443 mil usuários brasileiros , que segundo a empresa foram notificados sobre o ocorrido.
A notificação do governo brasileiro, expedida pela Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, traz uma série de questionamentos que deverão ser respondidos em até 10 dias pelo Facebook. Entre eles, o número de brasileiros atingidos, como os dados foram utilizados e a quem essas informações foram repassadas.
Em depoimento ao Congresso dos EUA, o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, admitiu que outras empresas compraram as informações levantadas pelo desenvolvedor Aleksandr Kogan. A Senacon também indagou o escritório do Facebook no Brasil sobre o que está sendo feito para contornar o problema.
De acordo com o Ministério da Justiça, se os questionamentos não forem respondidos poderá haver a instauração de processo administrativo. Se condenada, a empresa pode ser multada em até R$ 9 milhões. “Esse compartilhamento indevido viola a Constituição Federal, que resguarda a privacidade do cidadão”, diz a secretária substituta, Ana Carolina Caram.
Questionado pela reportagem sobre a notificação, o Facebook enviou um comunicado em que afirma que "nada é mais importante do que proteger a privacidade das pessoas. Estamos à disposição para prestar esclarecimentos às autoridades sobre este caso”, disse a assessoria de empresa. Em depoimento ao Congresso dos EUA, Zuckerberg admitiu falhas no cuidado com os dados de usuários e anunciou medidas que, segundo ele, aumentariam o controle das pessoas sobre as informações na plataforma.
O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) já havia aberto investigação sobre a responsabilidade do Facebook no caso no dia 21 de março. No documento que instaura o inquérito, o órgão aponta um “tratamento ilegal de dados” no episódio.
Congresso
No Congresso Nacional, deputados também solicitaram explicações ao Facebook sobre o episódio. Na Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) foram apresentados diversos requerimentos sobre o vazamento e temas correlatos, como a relação entre dados pessoais e eleições. Os integrantes do colegiado aprovaram um seminário sobre privacidade, dados pessoais, as chamadas fake news e a regulação das plataformas.

Polícia apreende cerca de 200 kg de maconha prensada em São Luís

Duas pessoas foram presas enquanto colocavam a droga dentro de um veículo de passeio.
IMIRANTE.COM

SÃO LUÍS - A Policia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), prendeu nesta quarta-feira (18), duas pessoas pelo crime de tráfico de drogas. Cleomarcio Lago Abreu, conhecido como “Junior”, e Tallyson de Lima Santos foram apreendidos com 233 tabletes de maconha prensada.

As equipes da Senarc já vinham investigando a dupla, que foi presa no momento em que colocava a droga, de aproximadamente 200 kg, no interior de um veículo Sandero branco, de placa PYO-8412. A apreensão foi feita nas imediações da rua do Engenho, bairro Tirirical, em São Luís.
Segundo a Polícia Civil, as investigações apontavam que os indivíduos armazenavam e distribuíam drogas na Região Metropolitana de São Luís. Após serem presos, ambos foram encaminhados à sede da Senarc, onde foram autuados em flagrante delito pela prática dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Em seguida, foram encaminhados ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde ficarão à disposição da Justiça.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Moro pode ser exonerado por divulgar conversa entre Lula e Dilma





O juiz federal Sérgio Moro pode ser punido no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em um processo movido pelo PT, PSB e PCdoB.

O conselho julga nesta terça-feira (17) o pedido feito pelas legendas para que o magistrado seja punido por divulgar sem autorização a conversa entre o ex-presidente Lula e a então presidente Dilma Rousseff (PT). A interceptação telefônica ocorreu durante movimentação em que Dilma pretendia nomear Lula como ministro do seu governo.


Segundo a coluna Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, Moro pode ser exonerado do cargo, ser advertido, sofrer censura, remoção compulsória ou aposentadoria compulsória.

Hildo Rocha leva drama das enchentes ao Ministério da Integração…

Em audiência com o ministro Antônio de Pádua Andrade, parlamentar maranhense acompanhou a bancada em busca de ajuda para municípios atingidos pelas chuvas




Por iniciativa do deputado federal Hildo Rocha, integrantes da bancada maranhense e o prefeito Lindomar Araújo, se reuniram com o Ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua Andrade, para debater a questão das enchentes que afetam Marajá do Sena e dezenas de municípios maranhenses.
“Diversos municípios foram afetados e hoje vivenciam situação de emergência. Pontes, estradas e calçamentos foram destruídos pelas enxurradas; centenas de famílias tiveram prejuízos enormes porque o patrimônio que elas levaram anos para conquistar foi levado pelas águas”, destacou Hildo Rocha.
Ajuda do governo federal
Rocha disse que desde os primeiros momentos em que procurou os órgãos do governo federal, tem observado a boa vontade das autoridades em auxiliar as famílias que estão passando por momentos desesperadores. Rocha foi um dos primeiros parlamentares federais do Maranhão a repercutir o problema na tribuna da Câmara e discutiu o tema com o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, Coronel Renato Newton Ramlow, para pedir ajuda do governo federal em favor da população que sofre por causa das enchentes que vem se avolumando dia-a-dia.
“O governo federal vai ajudar a reconstruir o patrimônio público destruído e também irá dar o devido apoio às famílias afetadas. Vamos constituir uma comissão, formada por senadores e deputados federais, para fazermos uma visita, juntamente com o ministro Antônio de Pádua, às localidades mais afetadas”, declarou Hildo Rocha.
O parlamentar aproveitou o encontro para tratar sobre o andamento de projetos no âmbito do água Para Todos, programa do governo federal que está levando água potável para comunidades que ainda sofrem por falta de condições adequadas de abastecimento de água.
Além de Hildo Rocha e do prefeito de Marajá do Sena, também participaram do encontro com o ministro a deputada Luana Costa (coordenadora da bancada) e os deputados Aluísio Mendes; João Marcelo; José Reinaldo e Sarney Filho.

Colégio F.A.C 2108

18 de abril dia do livro infantil.





China oferece vaga para cientistas brasileiros trabalharem em pesquisa

Projetos de tecnologia 
 Escolhidos terão salário mensal de US$ 2 mil por seis meses a um ano.
 
José Romildo/Agência Brasil


A China alcançou, em 2016 a liderança mundial de criação tecnológica. (Foto: Divulgação)
BRASÍLIA - Com um orçamento de cerca de US$ 280 bilhões para o desenvolvimento de ciência e tecnologia, o governo da China convida jovens brasileiros e latino-americanos em geral para trabalhar em pesquisas e projetos avançados de tecnologia no país asiático.
“A China dispõe as instalações científicas mais avançadas do mundo e os jovens que queiram participar desse projeto receberão muitos benefícios”, disse o conselheiro de Ciência e Tecnologia da Embaixada da China em Brasília, Gao Changlin.
O cientista que preencher os requisitos para trabalhar na China terá o salário mensal de US$ 2 mil por um período de seis meses a um ano. Posteriormente, se quiser continuar no país, o pesquisador poderá se candidatar para participar em projetos científicos em universidades ou institutos de pesquisa.
De acordo com a embaixada, centenas de pesquisadores latino-americanos receberam convites para trabalhar em pesquisas na China, dos quais, grande parte é brasileira.
As inscrições estão abertas. O candidato deve ter, no máximo, 45 anos, experiência de cinco anos em pesquisa ou ter concluído o doutorado.
Mais informações no site: tysp.cstec.org.cn. O pesquisador pode também encaminhar dúvidas ou perguntas para o e-mail tysp@cstec.org.cn ou para o endereço: 54 Sanlihe Road, Beijing 100 045, China.
Avanços
A China alcançou, em 2016 a liderança mundial de criação tecnológica. Há dois anos, os inventores chineses ficaram com o primeiro lugar no planeta em pedidos e autorizações de patentes, com mais de 1,2 milhão de projetos e 322 mil concepções tecnológicas.
O Brasil foi o primeiro país em desenvolvimento a estabelecer uma parceria estratégica com a China. Um dos aspectos dessa parceria foi o programa Cbers, assinado em 1980, que permitiu o lançamento de satélites para monitorar o território brasileiro e prevenir desastres ambientais.